domingo, 21 de setembro de 2014

Frigideira Strong Blues

 




   Frigideira Strong Blues... Guitarra confeccionada com uma velha frigideira e restos de sucata...






  Frigideira como caixa acústica, braço de ripa de estrado de cama, tarraxas de cabideiro e cordas de aço para pesca ( Afinação "aberta": uma corda dupla afinada em ré, outra em Lá, e outra em Ré.)





Aristotle.

                                               "O que sabemos fazer, aprendemos fazendo."
                                                                         Aristotle.

domingo, 31 de agosto de 2014

Berimbau de sucata

Berimbau de sucata.
 
    Na confecção deste berimbau utilizei como caixa acústica uma lata de achocolatado, uma ripa de palete como corpo, corda de aço de pesca, uma tarraxa de de violão e um pincel para percurtir...
 



  Desenvolvi um tipo de "gatilho", que ao acionar, movimenta um mecanismo onde se obtém um tom inteiro, substituindo a pedrinha do berimbau convencional...










  


"Uma mentira pode salvar o seu presente, mas condena o seu futuro."

domingo, 24 de agosto de 2014

BANJO DE SUCATA

BANJO DE SUCATA.
  Materiais utilizados: braço e corpo feitos de madeira de restos de cama; pele feita de garrafa pet; trastes são ferros de divisória de geladeira; tarraxas feitas de cabideiro, cordas de aço para cabresto de pesca; adornos de uma panela...











Krishnamurti

    "A verdade não é um fim, um objetivo que possa ser alcançado através decertas ações. É essa compreensão  nascida do contínuo ajustamento à vida" 
                                                                                                  Krishnamurti.

                                                          

sábado, 26 de julho de 2014

SITRON...(Sitar de sucata)


  Esta postagem é em homenagem à Alberto Marcicano, pela sua experimentação, genialidade e espiritualidade.


  Utilizando sucatas e resto de madeiras (de paletes, e caixas) confeccionei um Sitar...


  Lembro-me a primeira vez que ouvi o som deste instrumento mágico, algo me tocou profundamente, seguido de muita curiosidade, descobri que o instrumento era indiano e quem tocava era um brasileiro, Alberto Marcicano, então consegui o álbum Benares....Logo comecei a descobrir Ravi Shankar... Fiquei desejando por muitos anos em adquirir um Sitar e subitamente o insight: porque não construir de forma alternativa?!


 
  Consegui na net a afinação do Sitar utilizado por Ravi Shankar...


 
    Recortei o tampo da frente e de traz de uma caixa de madeira achada em uma caçamba de entulho...


  As laterais de madeira de palete...


  Fiz tarraxas utilizando barras de rosca, porcas e reutilizei também tarraxas de violão...


  Para os trastes utilizei ferros de divisória de geladeira, e uma cantoneira de alumínio de acabamento de construção...



 Para afinar as cordas simpáticas, fiz tarraxas usando parafusos argolados de fixar corda de varal...



Veio em minha "não-mente" adicionar com pirógrafo o símbolo do Cubo de METATRON...
 Então: Sitar + Metatron = SITRON



  Outro desafio seriam as cordas...
  Utilizei fios de aço de pesca, o comprimento e a espessura do fio foi um prazeroso experimento de afinação, e o resultado foi bem satisfatório, não deixando nada a desejar de um sitar indiano...


   Para confeccionar a ponte do instrumento, que na Índia é feita de marfim, utilizei um pedaço de cano de PVC marrom que moldei usando fogo para dar a forma desejada (ficou muito bom!)...



     Agreguei  peças de sucata, para fazer um "estilo"...


                                   OM SHANTI OM!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!


Alberto Marcicano.
      Certa vez Marcicano estava tocando seu Sitar as margens do rio Ganges...
      Aproxima-se um ancião Asceta atraído pelo som e lhe pergunta:
      -Há quanto tempo praticas o instrumento?
      Marcicano fecha os olhos e após minutos de introspecção responde:
      -Há cinco encarnações!
      O Asceta levemente sorri e indaga:
      Hummmmm, sim... você esta começando!

                                                                ATÉ A PRÓXiMA!!! 

sábado, 1 de março de 2014

Pandeiro de Garrafa PET



  Reutilizando materiais como garrafa PET, madeira de palete e tampinhas, confeccionei este Pandeiro...





  Utilizando uma esquadrejadeira fiz um quadrado com juntas de 45 graus...


 Depois com uma serra abri buracos para as platinélas...
 

  Depois colei e apertei com fita de aperto até secar...


 Com uma grosa desbastei o canto superior...



 Agora esta pronto para receber as platinélas de tampinha e a pele de garrafa PET...


  

 Deve-se retirar a borracha no interior da tampinha, pois abafa o som. Utilizando om alicate, deixe-a concava, depois fure no meio...


   Fixei as tampinhas com pregos de baixo para cima...

   E agora o grande segredo...  Para esticar a pele de garrafa pet, deve-se abrir a garrafa no formato do quadrado, depois fixa-la usando taxinhas, depois para esticar é muito fácil: vá esquentando no fogão lentamente que o PET estica muito, fica muito bom!!!


video
  


" A Vida é um eco. Se você não está gostando do que está recebendo, observe o que está emitindo"
BUDA.

Até a próxima!